Entre no Clube de Consumidores
e descubra todas as novidades
que temos para si.
Entre no Clube de Consumidores e descubra todas as novidades que temos para si.

Nutrição

Dieta Japonesa e outras dietas tradicionais com elevado consumo de peixe

Sabemos que os hábitos alimentares seguidos em diferentes zonas do planeta variam de maneira surpreendente. Este facto não tem só a ver com a disponibilidade de alimentos na zona em questão, é sobretudo uma filosofia de vida. Os asiáticos são especialistas nestas questões, transpondo o seu modo de viver para o que comem.

Com o objetivo de partilhar a sabedoria da cozinha japonesa, escreveram-se variados livros como The Japan Diet: 30 days to a slimmer you ou Japanese women don't get old or fat: secrets of my mother's Tokyo kitchen. Este interesse deve-se ao facto da dieta japonesa restringir o consumo de alimentos processados e de gorduras saturadas. Por esta razão, o Japão é um dos países com menor índice de obesidade do mundo, apesar do crescimento registado nas últimas décadas.

dieta JAPONESA e outras dietas tradicionais com elevado consumo de peixe

Chaves do êxito da dieta japonesa:

  • Elevado consumo de hidratos de carbono complexos: estes provêm do arroz, cereais integrais, frutas, legumes e leguminosas. Como exemplos temos o pimento, o feijão verde, a curgete, a beringela, a cebola, a cenoura, os espinafres, os rebentos de bambu, a couve frisada, o repolho, os brócolos, a beterraba, o nabo, o cogumelo, a alga e a soja;
  • Consumo de soja em vários produtos: é especialmente importante porque é uma excelente fonte de proteínas vegetais sem quaisquer gorduras saturadas. Não obstante, o seu consumo deve ser moderado, tal como o das algas;
  • Consumo de múltiplas variedades de vegetais em todas as refeições: a importância deste hábito reside no seu escasso conteúdo calórico, pelo que assim é mais fácil saciar o apetite ingerindo menos calorias. Além disso, são uma excelente fonte de vitaminas e compostos antioxidantes;
  • Consumo de peixe: o peixe e os produtos de origem marinha fazem parte da dieta diária. Consome-se sobretudo peixe branco, azul, crustáceos ou cefalópodes como a lula, o que garante um elevado teor de ácidos gordos ómega-3;
  • Controlo das suas refeições: os pratos destacam-se pelo cuidado na sua preparação, apresentação e na quantidade, que é pequena. Esta preparação influencia, inclusive, o modo como desfrutam das refeições, demorando mais tempo. Isto faz com que desfrutem da refeição e que a sua sensação de saciedade dure mais tempo.

Os benefícios do consumo de peixe são amplamente conhecidos pela Pescanova, por isso procuramos sempre proporcionar os melhores produtos aos nossos consumidores.

Numa aproximação à cultura japonesa, a Pescanova e o grupo Kakubi uniram-se para criar o projeto https://experienciakirei.com, onde encontra uma variada oferta de comida japonesa que poderá desfrutar em sua casa.

dieta JAPONESA e outras dietas tradicionais com elevado consumo de peixe

Outras dietas

A dieta japonesa não é a única dieta com elevado consumo de peixe. Outros exemplos bem conhecidos são a dieta mediterrânica (amplamente estudada devido aos seus benefícios para a saúde) e a dieta nórdica.

A dieta mediterrânica é típica, como o nome indica, das zonas do Mediterrâneo, como a Grécia ou a Itália (países onde a esperança média de vida tende a ser mais elevada). Nesta dieta o azeite é um ingrediente fundamental e a principal fonte de gordura. Também é muito importante o consumo de vegetais, fruta, cereais integrais, frutos secos, peixe e laticínios, assim como a massa (doses pequenas), o húmus e as favas.

A dieta nórdica é rica em cereais integrais (pão de centeio), peixe azul, bagas (como o mirtilo), vegetais e laticínios. Consomem-se menos as frutas, vegetais e azeite, ricos em vitaminas e antioxidantes, do que na dieta mediterrânica. Ainda assim, as bagas fornecem antioxidantes e o ómega-3 é obtido através do peixe azul.

Embora todas as dietas se baseiem em determinados grupos de alimentos, não se consomem os mesmos produtos em todos os países. Por exemplo, nos países nórdicos é comum o consumo de pão de centeio, mas na dieta mediterrânica não.

Não existem alimentos perfeitos, apenas dietas equilibradas e hábitos saudáveis como refeições controladas e exercício físico regular.